segunda-feira, 23 de outubro de 2017

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Mês Internacional das Bibliotecas Escolares

(Cartaz da autoria da Professora de Artes, Maria João Sá)

Outubro é o mês Internacional das Bibliotecas Escolares.
Por aqui, temos andado em festa...! 
Visita-nos e participa nas atividades que preparamos para ti.

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

A Palavra da Semana #3


Imaginação

Eu simplesmente sinto 
com a imaginação.
Não uso o coração.

Fernando Pessoa, "Isto" (excerto)

i·ma·gi·na·ção 
substantivo feminino
1. Faculdade com que o espírito cria imagensrepresentaçõesfantasias.
2. Falsa ideia proveniente de um juízo erróneo ou de uma apreciação irrefletida.
3. Suposiçãocisma.

"imaginação",in 
 Dicionário Priberam da Língua Portuguesa 

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

PRÉMIO NOBEL DA LITERATURA 2017


Kazuo Ishiguro foi o nome escolhido para prémio Nobel da Literatura 2017. 
O escritor inglês nascido no Japão é autor de títulos como Nunca me Deixes (adaptado ao cinema) e Os Despojos do Dia
A justificar esta escolha, a academia sueca referiu "os romances de grande força emocional" e "a capacidade de revelar os abismos por trás da ilusória sensação de conexão com o mundo", num "universo estético" muito particular. Definido pela academia como "um escritor de grande integridade", "um romancista absolutamente brilhante", nele podem encontrar-se influências de Franz Kafka, Jane Austen e Marcel Proust.

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

O Livro do Mês #2


Entramos em outubro com a escrita magistral de João de Melo. Os Navios da Noite são uma coletânea de dezoito contos surpreendentes que se debruçam sobre o mais caro dos temas para o autor: a condição humana. Dedicados aos vencidos da vida, estes contos levam o leitor a enfrentar fantasmas que, inevitavelmente, este acabará por reclamar como seus.
Um livro fascinante e perturbador, para entrar por outubro adentro.


sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Bem-vindo, Outono


No entardecer da terra,
O sopro do longo outono
Amareleceu o chão.
Um vago vento erra,
Como um sonho mau num sono,
Na lívida solidão.

Soergue as folhas, e pousa
As folhas volve e revolve
Esvai-se ainda outra vez.
Mas a folha não repousa
E o vento lívido volve
E expira na lividez.

Eu já não sou quem era;
O que eu sonhei, morri-o;
E mesmo o que hoje sou
Amanhã direi: quem dera
Volver a sê-lo! mais frio.
O vento vago voltou.


Fernando Pessoa 
Poema de 1910 publicado em 1922, no Semanário "Ilustração Portuguesa", nº 833

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Livros imperdíveis #2



– Que quer dizer "cativar"? – perguntou o Principezinho.

– É algo quase sempre esquecido pelos homens – disse a raposa. - Significa "criar laços"...
– Criar laços?
– Exatamente - disse a raposa. Tu não és ainda para mim senão um menino inteiramente igual a cem mil outros meninos. Eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim o único no mundo. E eu serei para ti a única no mundo...
Se tu me cativares, a minha vida será como que cheia de sol. Conhecerei um barulho de passos que será diferente dos outros, que me chamará para fora da toca, como música.
E depois, olha! Vês, lá longe, o campo de trigo? Os campos de trigo não me lembram coisa alguma. Mas será maravilhoso quando me tiveres cativado. O trigo, que é dourado, fará com que me lembre de ti e dos teus cabelos de ouro. E eu amarei o barulho do vento no trigo...


Antoine de Saint-Exupéry, in O Principezinho (Texto com supressões)